sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Conversas d'Ouvido com Børge

Entrevista com a banda, lisboeta Børge., pela voz do compositor e cantor Júlio Borges, o projecto conta ainda com o multi-instrumentista e produtor Pedro Gomes. Os Børge, mergulham nas profundezas de um rock alternativo, obscuro, pincelado com uma electrónica sombria e intrigante. Em 2015 editaram o debut "In Your Eyes", actualmente preparam o regresso aos discos com "Voices", mesmo assim encontraram tempo para uma descontraída troca de palavras em mais uma edição das "Conversas d'Ouvido"...

Ouvido Alternativo: Como surgiu a paixão pela música?
Júlio Borges: A mim surgiu desde os 3 anos, em que ouvia a música que o meu irmão ouvia (10 anos mais velho). Comecei a tocar viola aos 6.

Como surgiu o nome Børge?
O meu último nome é Borges. O Pedro pegou no meu nome e fez uma pesquisa e achou interessante o nome parecido na Escandinávia, Børge. Significa para dar. É o que nós somos, para dar.

Segundo sabemos este projecto precisou de algum tempo de maturação, como chegaram à conclusão que agora era o tempo certo?
Quando obtivemos o resultado certo. Achámos que tínhamos conseguido o som que queríamos. Tivemos muitos projetos diferentes até aqui e só poderíamos lançar algo, se fosse mesmo o que queríamos. E foi.

Citando-vos: a vossa música aborda os “assuntos mais intrigantes da humanidade e do cosmos”, que temas suscitam a vossa curiosidade?
Deus, o amor, o universo, o sentido da vida, o meio ambiente e a natureza, e o comportamento humano em geral. As letras são sobre isto. "The Meaning of Life", "Read" (sobre ler pensamentos e telepatia), "Contradicition" (sobre as nossas contradições constantes, "Toxic" (sobre a nossa forma de destruir o planeta), etc…

Como gostam de descrever o vosso estilo musical?
Neste momento como electropop. Mas na realidade somos uma mistura de eletrónico e Rock.

Para além da música, têm mais alguma grande paixão?
Algumas, mas na arte, a música domina. Gostamos de engenharia!

Qual a maior vantagem e desvantagem da vida de um músico?
A maior vantagem é a própria música, que te faz sonhar, viajar, pensar, meditar. A própria musica desperta-te sentidos de uma forma magnífica! A desvantagem é o dinheiro. Fazer música é dispendioso e pode não dar para viver condignamente. Não conseguimos dedicar-nos à música apenas.

Quais as tuas maiores influências musicais?
Dead Can Dance, Depeche Mode, Bauhaus.

Como preferes ouvir música? Cd, vinil, k-7, streaming, leitor mp3?
É-me indiferente, mas prefiro CD.

Qual o disco da tua vida?
Da minha vida…. Xiiii… é difícil. É uma escolha que será sempre errada, mas ok: Dead Can Dance - "Into the Labyrinth"

Qual o último disco que te deixou maravilhado?
Wolf Alice – "Visions of a Life"

O que andas a ouvir de momento/Qual a tua mais recente descoberta musical?
Sufjan Stevens, Papooz, The Shins, Melody's Echo Chamber e muitos mais.

Qual a situação mais embaraçosa que já te aconteceu num concerto?
Esquecer-me da letra a meio da música! (risos)

Com que músico/banda gostarias de efectuar um dueto/parceria?
Peter Murphy.

Para quem gostarias de abrir um concerto?
Editors.

Em que palco (nacional ou internacional) gostarias um dia de actuar?
No Coliseu de Lisboa.

Qual o melhor concerto a que já assististe?
Iggy Pop no Coliseu de Lisboa em 1991.

Que artista ou banda gostavas de ver ao vivo e ainda não tiveste oportunidade?
New Order.

Qual o concerto da história (pode ser longínqua, mesmo antes de teres nascido) em que gostarias de ter estado presente?
The The em Lisboa no Coliseu.

Tens algum guilty pleasure musical?
Não.

Projectos para o futuro?
Acabar e lançar este álbum (o 2.º) que se intitula "Voices". Promover este disco ao vivo e nas rádios.

Que pergunta gostarias que te fizessem e nunca foi colocada? E qual a resposta?
Não sei, gostei das vossas perguntas. :)

Que música de outro artista, gostarias que tivesse sido composta por ti?
"Enjoy the Silence", Depeche Mode.

Que música gostarias que tocasse no teu funeral?
Dead Can Dance, "Sanvean"...

Antes de nos despedirmos ficamos ao som dos Børge e do single "Contradiction" 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Follow by Email