domingo, 17 de junho de 2018

Conversas d'Ouvido com Water and Man

Entrevista com a banda brasileira radicada em Nova Iorque, Water and Man. Entre o rock psicadélico e a synthpop, os Water and Man são um quinteto composto por Vic Delnur (voz, produção, multi-instrumentista), Lip dos Santos (teclas), Eric Maciel (guitarra, teclas), Flavio Ferraz (baixo, sintetizador) e Milton Arantes (bateria). Actualmente separados por muitos quilómetros (Brasil, Austrália e Estados Unidos), encontram na música a força que os une, preparam a edição do segundo e aguardado disco "Phantasie", mas antes disso, sentam-se descontraidamente connosco para mais um lançamento das "Conversas d'Ouvido"...

Ouvido Alternativo: Como surgiu a paixão pela música?
Eric Maciel (EM)Eu e os caras da banda sempre tivemos uma paixão por música desde quando crianças. Sempre estivemos envolvidos em grupos como bandas de igreja, escola, heavy metal e até samba! Música é algo necessário em nossas vidas e isso foi algo que sempre tivemos em comum. 

Como surgiu o nome Water and Man?
Vic Delnur (VD): O nome veio de um livro. Nós tínhamos um lista com vários nomes (a maioria muito ruim - risos), mas escolhemos Water and Man pela simplicidade. 

Como é que decidiste mudar de malas e bagagens para Nova Iorque?
VD: Foi algo que aconteceu de repente, meu pai já morava em NY há mais de 10 anos e no ano passado meu processo de imigração foi aprovado. Agora é o momento de ficar por aqui!

Que dificuldades tens sentido na “grande maçã”?
VD: Como sou do Rio de Janeiro, o inverno de NY foi algo bem difícil pra mim. Mas foi bom, porque me isolei no estúdio e pude gravar "Phantasie"!
Water and Man - "Phantasie"
A banda reinventou-se, a formação mudou, podemos esperar mudanças na sonoridade, presentes no futuro disco “Phantasie”?
VD: Esse disco marca um momento de transição, estamos vivendo etapas diferentes na vida de cada um. Parte da banda original está no Brasil, outra na Austrália e eu aqui nos USA. Gravei o álbum praticamente sozinho, tive a colaboração do Lip e do Eric nas composições de "Phantasie". Usei bastante teclados, algo que tenho explorado bastante. Acho que nesse novo álbum está presente uma nova sonoridade, mas ao mesmo tempo tem elementos do primeiro disco. 

Conheces alguma coisa da música portuguesa?
VD: Conheço um pouco, gosto de Expensive Soul, Sam the Kid e Valete. 

Como gostas de descrever o vosso estilo musical?
Lip dos Santos (LS): Eu diria que se encaixa em uma categoria de rock psicodélico, indie, e synthpop. 

Para além da música, tens mais alguma grande paixão?
LS: Sou apaixonado por natureza. E tenho o surf como a minha maior paixão fora da música.

Qual a maior vantagem e desvantagem da vida de um músico?
VD: Acho que o lado positivo é se conectar com novas pessoas, lugares. O lado negativo é que quero gastar todo meu dinheiro comprando novos instrumentos! 

Quais as vossas maiores influências musicais?
LS: Sāo muitas, mas acho que Sublime, Sticky Fingers e John Frusciante foram as que tiveram uma influência mais forte. 

Como preferes ouvir música? Cd, vinil, k-7, streaming, leitor mp3?
LS: Mp3 e Streaming.

Qual o disco da tua vida?
VD: Difícil escolher somente um, mas acho que "Nevermind", do Nirvana. Foi quando quis aprender a tocar bateria!

Qual o último disco que te deixou maravilhado?
LS: "Caress Your Soul", do Sticky Fingers. 

O que andas a ouvir de momento/Qual a tua mais recente descoberta musical?
VD: Fui num show de uma banda de Long Island/NY, chamada Tauk. Não conhecia o som deles e ao vivo é muito bom!
Qual a situação mais embaraçosa que já te aconteceu num concerto?
VD: Não me recordo de nada muito especial, mas teve um show em que literalmente esqueci o nome de todas as outras bandas que estavam no evento, e acabei falando tudo errado! 

Com que músico/banda gostarias de efectuar um dueto/parceria?
EM: Childish Gambino, sem dúvida! Sinto que parceria com ele seria algo que pegaria todo o mundo de surpresa, uma participação de rap dele seria algo bem legal!

Para quem gostariam de abrir um concerto?
EM: Essa pergunta é bem fácil de responder, seria um sonho abrir para Hippo Campus, Tame Impala, Sticky Fingers, Colony House, Coin, Portugal. The Man, Switchfoot e Arctic Monkeys.

Em que palco (nacional ou internacional) gostarias um dia de actuar?
EM: Como eu nasci em Nova Iorque, sempre foi um sonho tocar em palcos em que eu tive o privilégio de assistir minhas bandas favoritas tocarem. Bowery Ballroom, Playstation Theater ou Terminal 5. Seria épico!

Qual o melhor concerto a que já assististe?
VD: AIR, ao vivo no Circo Voador, no Rio de Janeiro.

Que artista ou banda gostavas de ver ao vivo e ainda não tiveste oportunidade?
VD: Gostaria de assistir ao Snarky Puppy, eu sempre estou viajando nas datas quando eles vêm tocar. 

Qual o concerto da história (pode ser longínqua, mesmo antes de teres nascido) em que gostarias de ter estado presente?
VD: Woodstock, com certeza! 

Têm algum guilty pleasure musical?
VD: Spice Girls
EM: Maroon 5 e Harry Styles

Projectos para o futuro?
LS: Continuar tocando, compondo e trazendo coisas novas para o nosso público.

Que pergunta gostarias que vos fizessem e nunca foi colocada? E qual a resposta.
VD:Water and Man gostaria de fazer uma tour por Portugal em breve?
Com certeza! 

Que música de outro artista, gostarias que tivesse sido composta por vocês?
VD: "I Can’t Help It", do Michael Jackson. 

Que música gostarias que tocasse no teu funeral?
LS: Provavelmente uma de autoria nossa! 

Obrigado pelo tempo despendido, boa sorte para o futuro.
Obrigado Ouvido Alternativo!
Abraços, WM

Como sempre terminamos ao som dos nosso convidados, hoje ficamos precisamente com o mais recente single "Phantasie", que dará título ao futuro disco dos Water and Man.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Follow by Email