quinta-feira, 30 de junho de 2016

Conversas d'Ouvido com Rafa Schuler


Estivemos à conversa com o fantástico guitarrista, cantor, violinista e produtor brasileiro Rafa Schuler. Um autêntico astro da guitarra, apresenta-se ao vivo com o projecto Rafa Schuler & os Mostardas. Conversa descontraída, onde descobrimos um pouco mais sobre os aspectos musicais da sua vida. Entre as suas maiores influências encontramos nomes como Jimi Hendrix e George Benson, o último disco que o deixou rendido foi editado em 1991, The Best Band You Never Heard in Your Life, de Frank Zappa. Contudo há muito mais para descobrir nesta nova edição de "Conversas d'Ouvido"...


Ouvido Alternativo: Como surgiu a paixão pela música?
Rafa Schuler: Tudo começou aos 6 anos de idade quando estudei piano no colégio por 3 anos e aos 13 decidi que ia ser guitarrista após ver o Angus Young do AC/DC no Rock in Rio em 1985, aquele dia foi decisivo na minha vida, eu tinha 13 anos.
Também em casa minha mãe ouvia muita música americana, era apaixonada por Elvis Presley, Frank Sinatra, as Big Bands, Cole Porter, George Gershwin, Metais em Brasa e a música mexicana.

Para além da música, t que tocasse no vossomavamstiram que tocasse no teusosavas ariasens mais alguma grande paixão?
Ser pai, tenho uma filha de 15 anos, a Sofia que é minha parceira, amiga, conselheira e a melhor coisa que aconteceu na minha vida. Também adoro o piano, foi o instrumento que comecei e pratico em casa sempre que posso.

Qual a maior vantagem e desvantagem da vida de um músico?
Todas as desvantagens são compensadas pelas vantagens de poder fazer o que mais amo que é tocar guitarra, ter esse privilégio de saber o que queria desde cedo na minha vida e isso não tem preço!
Amo tocar guitarra, estar na estrada e principalmente o palco onde o mundo fica mágico e muito melhor.
Se fosse mencionar uma desvantagem para mim seria ficar impossibilitado de subir no palco.

Quais as tuas maiores influências musicais?
Na guitarra são vários mas citando alguns: Jimi Hendrix, Eddie Van Halen, George Benson, Brian Setzer, adoro Tommy Emmanuel, Django Reinhardt, no tango Astor Piazzolla, a música americana e britânica artistas como Prince me fascinam pela genialidade, tem uma lista enorme, sou muito eclético.

Como preferes ouvir música? CD, Vinil, K-7, Streaming, leitor mp3?
Gosto de ouvir quando estou em casa e ouço todos os formatos para perceber suas diferenças mas o vinil ainda é o melhor para mim. A verdade é que atualmente não tenho escutado muitos guitarristas, cada vez mais ouço coisas que ouvia na infância e seleciono mais o que vou ouvir, quanto mais antigo melhor.

O streaming está a “matar” ou a “salvar” a música?
Acho que tudo tem seu ônus e bônus então, tudo é válido e deve ser considerado e visto de forma positiva.

Qual o disco da tua vida?
Pergunta difícil de responder, são vários mas nos últimos tempos voltei a escutar ‘1984’ do Van Halen e é impressionante o que Eddie fez nesse disco, é muito orgânico e genial.

Qual o último disco que te deixou maravilhado?
The Best Band You Never Heard in Your Life de Frank Zappa.

O que andas a ouvir de momento/Qual a tua mais recente descoberta musical?
Atahualpa Yupanqui, compositor, cantor, violonista e escritor argentino. Tenho escutado sua obra mas principalmente as músicas instrumentais.

Qual a situação mais embaraçosa que já te aconteceu num concerto?
Minha calça rasgou toda na parte de trás no meio do show.

Que músico/banda já te desiludiu a nível musical/ou em concerto ao vivo?
Nenhum.

Com que músico gostarias de efectuar um dueto/parceria?
Eddie Van Halen, sem dúvida. Fiz uma versão de ‘Eruption’ usando uma técnica que venho desenvolvendo há algum tempo na qual, no lugar da palheta, eu uso as unhas do indicador, médio e anular da mão direita contra as cordas, seguido de ligados e dei o nome de #3Nail Technique. É muito bacana a sonoridade e única.




Para quem gostarias de abrir um concerto?
Van Halen ou AC/DC.

Em que palco (nacional ou internacional) gostarias um dia de actuar?
Carnegie Hall.

Qual o melhor concerto a que já assististe?
Paul McCartney.

Que artista ou banda gostavas de ver ao vivo e ainda não tiveste oportunidade?
Van Halen, AC/DC entre os vivos, e os que se foram, Prince, Ray Charles, James Brown e Jimi Hendrix.

Qual o concerto da história (pode ser longínqua, mesmo antes de teres nascido) em que gostavas de ter estado presente?
Woodstock.

Qual o teu guilty pleasure?
Cigarro, meu maior 'guilty pleasure', ainda largo ele ou não…:)

Projectos para o futuro?
Viajar o mundo com a guitarra.

Que pergunta gostarias que te fizessem e nunca foi colocada? E qual a resposta.
Sobre a minha relação com a guitarra e com a música na forma mais intensa e não sobre efeitos, amplificadores, pedais etc, etc.. e a resposta é: Vida, uma coisa só, corpo e instrumento, diária e constante que transforma tudo ao meu redor em um mundo melhor sempre e me mantém vivo. Eternamente bem, estado de espírito elevado. Algo que vai além das cordas e madeira bem como o palco.

Que música gostarias que tocasse no teu funeral?
Wow, nunca pensei nisso mas, pensando agora os discos do AC/DC e Van Halen tocados bem alto como: Back in Black, 1984, e coisas de New Orleans, seria perfeito, uma festa.


Obrigado pelo tempo despendido, boa sorte para o futuro.
Ficamos agora ao som do disco homónimo de Rafa Schuler & Os Mostardas

Sem comentários:

Enviar um comentário

Follow by Email